Os colaboradores do município não são um grupo de malfeitores

Autor: Artur Feio
Presidente da Comissão Política Concelhia
A Gestão de Recursos Humanos (GRH) compreende a articulação e o ajustamento entre as pessoas que trabalham numa determinada organização e as necessidades estratégicas desta.
Envolve a gestão efectiva das pessoas no contexto organizacional, analisando tudo aquilo que pode ser feito para as tornar mais produtivas e satisfeitas no seu trabalho, tendo em conta que são as pessoas que executam o trabalho e desenvolvem as ideias essenciais para a sobrevivência da organização, atenuando ou intensificando os seus pontos fortes ou fracos.
Os recursos humanos devem ser encarados numa óptica de marketing integrado, considerando-os como clientes internos da organização, cujas necessidades e aspirações devem ser identificadas e às quais é preciso proporcionar respostas adequadas, por forma a atrair, desenvolver e manter os melhores colaboradores.
Os contínuos desafios com que, actualmente, se defrontam as organizações permitem que os recursos humanos se assumam como o seu principal elemento diferenciador.
A CMBraga tem vindo a perder os seus melhores recursos humanos. As saídas precipitadas de Colaboradores, Técnicos e Directores, os pedidos sucessivos de mobilidade e as mudanças para o Privado, têm sido uma constante.
Certamente que o estigma e o constrangimento causados pela colocação de torniquetes para controlo de acessos não ajudam a reter talento.
O universo camarário não é feito de malfeitores.
Braga, é o ÚNICO município do País com esta abordagem.